Postagens

Mostrando postagens de Março, 2009

Primeira Passeata 13 junho 1980

Imagem
A matéria publicada no Lampião é assinada pelo Trevisan (nº 26, pág. 18) Começa abaixo do subtítulo "O Arouche é nosso": "Naquela sexta-feira 13 de junho, dia de Santo Antônio, quase mil pessoas se reuniram diante do Teatro Municipal, no começo da noite. É verdade que há uma chuva intermitente ... Compareceram sim as bichas rasgadas que pouco têm a perder, além da vida ... Subindo pela Avenida São João e parando o trânsito, a passeata abria-se com um cordão de mulheres enlaçadas."

As precursoras

Jan, foi ótimo você citar o nome da Virgínia, o Lula, em 2004, na lista, há havia reencaminhado uma mensagem dela dando uma palinha.

O Lula foi convidado a participar, mas ainda não respondeu. A Virgínia, não tenho contato, não conheço. Tampouco a Marinalva Santana.

- Você não quereria colaborar nessa idéia e trazer as suas memórias sobre o ativismo delas ou então (ou os dois, rs) convidá-las a fazê-lo elas também?

Ei, Míriam, falar em precursoras sem que você se manifeste, não dá, né?
E aí? Conta pra gente como foram aqueles anos inaugurais?

Primeiras Manifestações Públicas em Brasília

Oi Jan, legal você fazer esse registro sobre Brasília.
Abro este post específico, como num Boas Vindas para as meninas do Planalto Central nos brindarem com as suas memórias.
Já temos noção da raça dessas garotas. Falta agora saber delas mesmas como foi todo processo, o surgimento da idéia, a organização da Parada, os obstáculos, receios...

As Primeiras Manifestações Públicas

Bem, seguindo a sugestão trazida pela Míriam, abro este tópico como "ponto de partida" a esse exercício de rememoração coletiva.

Penso que, talvez partindo da recuperação da memória daquelas primeiras experiências de enfrentamento da representação destruidora de reputações, de decidir-se superar os temores por todos os riscos implicados e ocupar o espaço público reivindicando o direito à não discriminação, pode ser que as pessoas vão se animando em participar, numa benfazeja experiência de celebração - dos que estão, dos que se foram, dos que virão.

Recuperação em coletivo das memórias das lutas

Oi Míriam
Bem, a idéia não é jornalística ou de necessário confronto com fontes documentais, embora possam vir sob a forma de comentários.Pensei em duas possibilidades, tomando em vista os recursos da ferramenta.

Uma, seria colocar estes agentes como autores no blog. Eles mesmos postariam as suas memórias. A complementação dos fatos narrados poderiam vir através de comentários e também através de postagens de outros agentes/autores.

Uma outra seria - mais trabalhosa, pois requereria um trabalho de pesquisa e sistematização - compilar estes relatos fragmentados e dispersos e, em obtendo a autorização de seus autores, colocá-los no blog, de uma forma sistematizada que poderia ser época/cidade/atividade. A partir desse primeiro trabalho, os autores dessas mensagens memorialistícas poderiam vir ao blog complementá-las.


Por exemplo. Se iniciarmos o tema "PARADAS", pode-se buscar as discussões aqui já havidas e procurar sejam por seus autores complementadas, travando-se - espera-se - …

PELO DIREITO À MEMÓRIA HISTÓRICA

Quinta-feira estive no projeto Laços & Acasos, desenvolvido pelo Grupo Arco Íris, do RJ. Ali, sem anúncio prévio, pude presenciar um extraordinário testemunho, um depoimento de uma das protagonistas do movimento homossexual e lésbico nos anos 90.

Como não tinha conhecimento prévio, deixei de gravar aquelas informações preciosas sobre como foram acontecendo esse ressurgimento; as primeiras paradas; o enfrentamento de manifestações violentas; a reprodução dos mecanismos desqualificatórios; as tensões de gênero; os exemplos de solidariedade e compromisso; o empoderamento etc.

As meninas que estavam ouvindo aquele relato em primeira pessoa, ao final disseram da importância de poder ter conhecimento dessas histórias.

Hoje, na listagls, volta a surgir a mesma questão - a importância e a necessidade de se recuperar essas memórias, a partir de mensagens narrando experiências do protagonismo desse ressurgimento em São Paulo.

Será que, através deste mecanismo, poderíamos dar início à materializ…