segunda-feira, 20 de julho de 2009

Memórias e Histórias - Reenquadrando a Rota

"Parcial, fragmentada, recalcada e comemorativa, a memória é, em muitos casos, um dócil ministro dos próprios interesses. Ela espalha por aí que se apoia exclusivamente na ética, mas o que lhe fornece energia mesmo são quase sempre os sentimentos - e os ressentimentos. Já os procedimentos do historiador não excluem a afetividade, mas caracterizam-se pela verificação, uso de evidências e argumentação racional. Daí que a competência do historiador resulta quase sempre melancólica, pois acaba descobrindo complexidades e atenuantes incompatíveis com o maniqueísmo purificador da memória. (...)
Ao contrário da memória, a História puxa o tapete de muitas ilusões e contribui para o desencantamento do mundo; daí que nem sempre é prudente usar o passado como um bastão moral." Elias Thomé Saliba: Além das Memórias - Abertos os arquivos da Segunda Guerra Mundial, uma série de livros analisa o conflito. Carta Capital, nº 554, 15/07/09, págs. 60-63.



Quem vem acompanhando este espaço de interação sabe como e de onde surgiu a sua proposta. Sabe, também, exatamente no que se constituía.

Como explicitado no texto de abertura e no próprio preâmbulo do blog, a idéia era reunir relatos dispersos ou não constituídos d@ protagonistas do Movimento Homossexual Brasileiro ou Movimento de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais.

Questões diversas, porém consistentes e constitutivas, facilmente detectáveis por quem tenha um mínimo de visão reflexiva, no entanto, terminaram por transformar o projeto, originariamente coletivo, em aventura semissolitária - exceção participativa que apenas confirma a validez dos valores estruturantes dessa nossa contemporaneidade terna, fraterna, cooperativa, desinteressada.

Acreditando na importância da iniciativa, Míriam Martinho, ativista e verdadeira decana do MHB, acercou-se desde a primeira hora a colaborar, assumindo mesmo, espontaneamente, a tarefa de postagens tanto quanto possível periódicas, enquanto, por questões de ordem pessoal, tive de permanecer afastada.

Essa parceria espontânea e solidária se por um lado cumpriu o papel inaugural de "manter o gás" da iniciativa, por outro, por força da receptividade d@s agentes históric@s convidad@s, terminou por dar outro curso à rota inicialmente traçada.

Assim, o que era espaço apenas destinado à memória, veio a se constituir efetivamente em espaço híbrido - Memória & História.

Ambas igualmente legítimas, válidas, embora suas diferenciações.

Nenhum comentário: