domingo, 25 de abril de 2010

VITÓRIA DXS LGBTS DE VITÓRIA DA CONQUISTA

Pela primeira vez, Vitória da Conquista (BA) realiza a sua Parada do Orgulho de Ser LGBT.
Foi no final de semana passado.
Fiquei encantada com a intensidade do relato de Daniela Novais, que acompanha de perto o movimento LGBT baiano e que, melhor do que qualquer à distância, sabe exatamente o significado desse acontecimento.
Com a sua permissão, trago aqui esse relato em primeira pessoa (aliás, era justamente este o projeto original deste blog), como deve ser: intenso, emocionado, comprometido:
 
"Acho que pouca gente, mais do que eu, gostaria tanto de ter estado lá, mas não foi possível. Como comentei nas listas antes, estou com alguns probleminhas de saúde, que podem até não ser graves, o que não significa que não precisem de cuidados, isso sem contar que, se estivesse em Conquista nesse fim de semana, infelizmente, não seria para a Parada, mas para um velório de uma ente querida, que cumpriu essa etapa e morava lá. Enfim, não deu pra mim desta vez, mas no sábado, falei com algum@s amig@s e todas as pessoas com quem conversei me disseram que a parada foi ótima e eu estou aguardando mais informes, mais detalhes. Até compartilho o que valer a pena, se este for o caso. =)
 
Só queria registrar o quanto é gratificante ver qualquer "ocorrência" declaradamente LGBT acontecendo lá, porque eu bem vivenciei um tempo em que os queridíssimos Adão e Alan eram os únicos que ousavam tocar no assunto, tentavam chamar reuniões e muitas das vezes somente eu, a galera do Morgana Mix, mais 2 ou 3 gat@s pingad@s tínhamos disponibilidade pra ouvir.
 
Impossível não lembrar da infinidade de bares GLS que abriam e fechavam com menos de 2 meses, porque a galera tinha vergonha de frequentar, por conta do preconceito que sofria só de passar por perto. Os que se mantinham abertos, vez por outra sofriam alguma espécie de boicote.
 
Sem contar quem quem ousava assumir a orientação sexual, nossa! Por essas e outras, o único grupo de militância, o Acrópole, nunca ia além das primeiras três reuniões e só agregava gente, quando era pra alguma confraternização, pro baleado gay... se fosse pra discussão séria, nunca apareciam caras diferentes, além de nós que sempre íamos... isso quando tod@s podíamos ou ficávamos sabendo a tempo. ...e foi assim que surgiram as primeiras festas de Morgana, que no início eram só entre amig@s, mas foram crescendo e se abrindo pra quem mais quisesse ir e hoje quando acontece, tem caravana de gente das cidades próximas.
 
Foi assim também que eu e os meninos começamos a discutir a questão LGBT mais profundamente, buscar informações... Até chegar à primeira movimentação realmente política e com inserção social, foram 3 longos anos, de festa em festa, de reunião em reunião, geralmente em minha cozinha (rsrsrs) e o motivo, um crime de homofobia. Como sempre, as mesmas pessoas envolvidas: daquela vez Morgana Mix puxou a pauta e teve o apoio de Alan e Adão e a maioria e das mesmas pessoas que também estiveram apoiando a Parada, como por exemplo os queridos Zé Mário, Ricardo Marques e Jean Fabrício, mas não poderia deixar de citar Lígia Matos, Ricardo da Receita Federal e o ex-prefeito Zé Raimundo.
 
Hoje, 4 anos depois de um primeiro evento declaradamente LGBT, tímido, amador e realizado num cantinho de rua, as cores do arco íris tomam um espaço enorme, numa área super visível da cidade que geralmente é dedicado à micareta e outras festas e que no sábado chama muita gente.
 
Puxa! É uma sensação de alegria intensa!!! Diria quem uma enorme quebra de tabu! Só quem conhece a cidade e seu cotidiano minimamente pode entender a real dimensão do que eu quero dizer.
 
Ficam os parabéns, um imenso orgulho e a satisfação de saber que o movimento LGBT está finalmente acontecendo em Conquista, que como o relato feito pelo Adé Diversidade do Ícaro Ceita bem o diz, é uma cidade ainda bem tradicional, talvez herança do coronelismo do café, ou sabe o porquê exato de ser uma cidade tão tradicional, mas é fato. Só discordo que o friozinho peculiar seja uma tortura. Adoro! rsrsrs.
 
Vida longa à Acrópole, Grupo Safo, ao Morgana Mix e @s conquistenses que não militam em grupo, mas que sempre tiveram coragem de botar o bloco na rua. Parabéns principalmente às meninas do grupo Safo, que foram as que sonharam em primeiro lugar com esta Parada e não desistiram do sonho, mesmo quando tudo parecia tão impossível. Arrasaram, meninas. É isso aí! Me lembro de citar nominalmente as queridas Ana, Rosa, Sirleide e Airlana (que aliás, foi quem me deu os primeiros informes).
 
Vocês estão sendo um divisor de águas no movimento conquistense, viu? E viva a diversidade e o Orgulho de Ser LGBT. Como diz o slogan que usamos em alguns eventos promovidos pelo Coletivo Morgana Mix, de lá mesmo de Vitória da Conquista e do qual eu ando igualmente afastada enquanto cuido da saúde, "Somos, logo existimos".
 
Há braços felizes e orgulhosos com a visibilidade LGBT em Conquista!!!
(a) Daniela Novais"

Nenhum comentário: